Cinderela no país das Maravilhas

A fine WordPress.com site

A message from England

Em inglês foi fácil expressar a emoção de carinho por um sofrimento conhecido antigamente.

” There is nothing bad / ugly with you. You are just sick now “.

 

Too much sickness

Too much disease

Too much diverting from a real life

 

You have a disease yeah. And you are afraid right now.

But still…”you are a very sensitive and inteligent person.”

Demasiadas afinidades que surgem mal na altura errada da vida.

Advertisements
Leave a comment »

3 de março

Por aqui tudo é difícil. E no entanto é muito mais fácil do que a realidade crua e fria que os outros vivem.

Mantenho-me à tona. Com muita, muita medicação – sim. Mas com o organismo a adaptar-se melhor, mais depressa, menos efeitos secundários.

Por aqui tudo é doença. Por aqui tudo é saúde.

Neste espaço não sinto facilmente a minha criatividade.

Dei à sorte, coincidências e destino, uma oportunidade de me mostrarem o caminho sem os questionar demais.

E a ajuda (paga) vem de uma ordem religiosa.

Leave a comment »

22 de fevereiro

Regressámos ao que receávamos.

“We were born sick.  Hard, they say”

O que era um terror tornou-se a nossa casa de descanso.

Leave a comment »

21 de fevereiro

Overwelmed. So many rules. So many sick deformed people.

They look like coming from de Devil’s pit – the deep, handicaped ones.

 

Then us – the less messed up ones in the border of alienation. With brains that play tricks on us and on our lifes.

Many stories, horrible stories – abuse, careless, families, etc.

Me: no sleep still  – can’t panick.

Nurses: please help! All ok, they say.

Even when my body feels like dying is all anxiety, all in my head.

Found myself actually writing at the bathroom: no other place available after 11 pm. 4, 4, 6, 6 hours of sleep a night.

Leave a comment »

Espaço em branco

nothing

 

Como transformar a frustração óbvia em outro algo que não a invasão do corpo e o tolher dos movimentos?

É como se houvesse um enorme espaço em branco, cheio de nadas, a ocupar todas as partes de ti aonde chegam os sentimentos.

Leave a comment »