Cinderela no país das Maravilhas

A fine WordPress.com site

janeiro 2012

Tudo e por nada.
Sinto, logo vivo.
Um pôr do sol lamechas distante. Impulsos concretizados. Desembaraço.
Aproximação fácil às pessoas. Rivotril. Sim. Autorizado por psiquiatra – tantos quanto precisar.
Alegria. À vontade. Descontradancepostcard1ção.
Novo acordo ortográfico.
Regressei. Sim. Aos compromissos. À vida. Às pessoas.
Em cerca de 10 dias.
Falo em público. Digo parvoeiras.
O idiota do P.V. à minha frente não me incomoda.
Rio-me para dentro da sua fanfarronice.

Organizar papéis. Escritos de memórias, estados, factos.
Coisas minhas. Quais valem a pena passar para PC com  intuito literário?

Leave a comment »

Novembro 2013

Quando a imaginação se dirige para factos desejados, convenientes – aí o tempo volta a funcionar.
A passar em vez de paralisado num Frame.

Volto a sentir-me devastada com a falta de “utilidade” social.

Leave a comment »

Março 2014.2

O que é circunstância social e o que é sintoma da patologia?
Quase impossível perceber ou distinguir.
Nada a dizer, nada a partilhar.

Leave a comment »

Março 2014

Possibilities of freedom – recover on my own before attach to tasks that require commitment.
Now, in these – state of sadness and no will to move .
How to use the freedom I have now?
I have been living as a condemned, as a prisoner. ~
I put myself as a victim of my own internal monsters that show up to paralyze me – I need Out but this time an Organized Out.

Leave a comment »

Fevereiro 2013

Encolhi, retirei. Gestos, palavras, emoções.
Conto as semanas e meses. Não há nisso consolo – parece ser esse o estado máximo daquilo que me é permitido estes tempos.
Retiro-me e retraio-me pois neste estado à mínima frustração toda a pouca energia se esvai.

07-henrikknudsen[1] (2)

Leave a comment »